Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Retomadas as obras do Residencial Alegro Villagio
Início do conteúdo da página

Retomadas as obras do Residencial Alegro Villagio

  • Publicado: Segunda, 01 de Julho de 2019, 15h58
  • Acessos: 564

Retomadas as obras do Residencial Alegro Villagio

AlegroVillagio Julho2019

Não haverá mudanças na seleção das famílias que vão residir no local; obras devem levar 12 meses para serem finalizadas.

Para a alegria das famílias selecionadas para receberem um apartamento no Residencial Alegro Villagio, nesta segunda-feira, o prefeito Marcelo Belinati e o presidente da Cohab-Ld, Luiz Cândido de Oliveira, anunciaram a retomada das obras de construção do residencial. O anúncio foi feito na Prefeitura de Londrina com a presença do superintendente Regional da Caixa Econômica Federal, Vladimir Roberto dos Santos, e do presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Jorge Lange.

Após negociações dos técnicos da Cohab-LD, do prefeito e do deputado Federal, Filipe Barros, com os representantes da Secretaria Nacional de Habitação, do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), foi possível conseguir a liberação de recursos para a continuidade das obras.

Segundo Marcelo, trata-se de um trabalho em conjunto com os técnicos da Prefeitura, da Cohab, da Cohapar, da Caixa Econômica Federal e dos representantes do poder legislativo em Brasília para solucionar os trâmites burocráticos e dar seguimento a essa obra relevante para a cidade. “É o sonho da casa própria para as famílias que poderão sair do aluguel e ter direito a sua moradia. É uma obra importante que vem se somar com tantas outras ações importantes da Cohab, como de promover a regularização fundiária e retomar a construção de casas para atender as pessoas que precisam de moradias populares”, explicou o prefeito.

De acordo com o presidente da Cohab, os recursos estavam bloqueados devido à decretação de falência da construtora então contratada para a obra, a G. Fernandi Construção e Incorporação Ltda. Ela realizou mais de 90% da construção do empreendimento, restando agora aproximadamente 8% dos trabalhos para que o empreendimento fique pronto para moradia.

Para isso, serão investidos mais de R$ 2,1 milhões, que servirão para arrumar possíveis pontos deterioradas e para finalizar a construção das áreas de passagem, instalação dos aparelhos sanitários, colocação de portas e outras ações. “Para que os apartamentos do Residencial Alegro Villagio sejam entregues é preciso que finalizar menos de 10% das obras que ficaram inacabadas. A nova construtora contratada pela Caixa Econômica Federal é de São Paulo e deve retomar os trabalhos na segunda quinzena de julho. Isso vai gerar emprego e renda em Londrina e movimentar a economia da nossa cidade”, acredita Oliveira.

A estimativa é que a nova contratada leve, no máximo, 12 meses para finalizar as obras, por isso a entrega dos imóveis deve acontecer no início de 2020. “Acredito que em menos tempo a gente tenha uma surpresa agradável e que possamos entregar essa obra. Para que a gente chegasse a um bom termo, tivemos uma análise civil da obra, financeira e de planejamento. Foi um trabalho longo, mas que logrou êxito”, ressaltou Santos.

Durante a solenidade, Barros agradeceu aos esforços empenhados pelo presidente da Cohab-Ld e afirmou que a moradia está entre as prioridades de sua gestão. “Eu fiz uma lista de 10 prioridades e uma delas era justamente o término das obras o Alegro Villagio. Um empreendimento necessário para Londrina, uma vez que temos um déficit habitacional histórico na nossa cidade e que precisávamos solucionar, para darmos dignidade para aquelas famílias que já haviam sido sorteadas”.

Sobre o empreendimento – Ao todo, o empreendimento localizado no Conjunto Jamile Dequech (região sul) terá 144 habitações. Ele ocupa uma área de 7.500 metros quadrados e conta com nove blocos, com quatro andares cada. Os apartamentos possuem 43 metros quadrados distribuídos em dois quartos, banheiro, sala e cozinha conjugada. Os moradores também têm direito a uma vaga de garagem.
As famílias que vão residir no local já foram selecionadas pela Cohab-LD em três sorteios que aconteceram no final de 2017. No primeiro deles, concorreram famílias com pessoas com deficiência, no segundo, os idosos e no terceiro, o público em geral.

Todos os futuros moradores foram habilitados no Programa Minha Casa, Minha Vida, Faixa 1, e demonstraram ter renda de até R$ 1.800,00 por mês. Por isso, terão direito a taxa zero de juros. A parcela mensal varia entre R$ 80,00 até R$ 270,00. O prazo máximo é de 10 anos ou 120 parcelas.
No Brasil, segundo o representante da Cohapar, há 8 milhões de pessoas aguardando por uma casa, sendo que, no Paraná, são mais de 250 mil famílias e, em Londrina, são cerca de 50 mil pessoas. “É papel do homem público buscar soluções para esse problema, para que possamos caminhar e diminuir esse déficit habitacional que causa uma dificuldade muito grande para as famílias. O ato de entregar moradia é dignidade, lar e estrutura familiar”, disse Lange.

De acordo com dados da Cohab, atualmente, há 61 ocupações irregulares, sendo que a estimativa é que 12 mil famílias estejam desassistidas de moradia digna. “Esse é o começo para a garantia de uma moradia digna e do acesso ao primeiro imóvel para 144 famílias, mas a Cohab continua trabalhando para trazer esse benefício e dignidade a todas famílias que precisam”, finalizou Oliveira.
Estiveram presentes, além das autoridades já mencionadas, os vereadores Estevão da Zona Sul, Péricles Deliberador, Vilson Bittencourt, representante da construtora contratada, Leonel Rodrigues, o secretariado municipal, servidores municipais e futuros moradores do residencial.


Texto: Ana Paula Hedler – N.Com

registrado em:
Fim do conteúdo da página