Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Balanço da Saúde aponta avanços significativos
Início do conteúdo da página

Balanço da Saúde aponta avanços significativos

  • Publicado: Terça, 05 de Fevereiro de 2019, 14h18
  • Acessos: 113

SamuAmbulancia

Reforma de UBSs, escala completa de médicos nas UPAs, aumento na realização de cirurgias eletivas e consultas, estão entre as melhorias; documento também apresenta os projetos para 2019

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulga, terça-feira (5), um balanço das ações realizadas em 2018. Inúmeros avanços foram apontados no estudo, entre eles a reforma de 11 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), já em fase de conclusão, além da recuperação de outras três UBSs já entregues, bem como a ampliação e modernização da Farmácia Municipal e a reforma do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Infantil. O documento também aponta os projetos para 2019.

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, garante que está em curso o maior Programa da Restruturação da Saúde Pública da cidade, comandado pelo prefeito Marcelo Belinati, que coloca a saúde como prioridade. Segundo ele, nos dois últimos anos de gestão, a SMS executou um planejamento muito bem detalhado, que iniciou em 2017, com o diagnóstico de todas as áreas da saúde e das metas do setor. “A partir daí buscamos, de forma planejada e ordenada, estes indicadores e conseguimos diversos avanços, entre eles a reforma das UBSs, a ampliação do acesso da população às consultas com especialistas e às cirurgias eletivas e a reestruturação da Urgência e Emergência”, enfatiza.

Atualmente as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão com escala completa, contando com até sete médicos à disposição da população. Em 2016, as UPAs dispunham de três médicos de plantão, aumentando para seis em 2017 e chegando a sete em 2018. “Isso é um feito inédito, em qualquer unidade de pronto atendimento no Brasil”, ressalta Machado.

O quadro possibilitou melhorar o número de atendimentos nas UPAs, que passou de 229.998, em 2016, para 236.297 em 2018, um aumento de 3%. Além disso, houve redução do tempo médio de espera por atendimento de 4h43, em 2016, para 3h40 em 2018 (-22%), na UPA do Jardim do Sol, e de 3h50, em 2016, para 2h45, em 2018, na UPA do Jardim Sabará (-28%).
Outra conquista da pasta, foi a aquisição de novas viaturas para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (SAMU). Em 2016, a frota contava com apenas quatro ambulâncias aptas a rodar e hoje possui 15, muito acima do que preconiza o Ministério da Saúde, que recomenta oito.

Dentre os avanços, também destacam-se a modernização e ampliação da Farmácia Municipal, que hoje conta com um ambiente climatizado e adequado para atendimento da população, no centro de Londrina. Houve ampliação do horário de atendimento do local, de 8 para 12 horas por dia.

Cirurgias - A Secretaria de Saúde também reuniu esforços para a execução de mutirões para colocação de órteses e próteses, pois muitas pessoas estavam na fila há anos a espera de cirurgias desta natureza. Os dados apontam que houve um acrescimento de 67%. Foram computados 1.215 procedimentos em 2016 e 2.029 em 2018.

Houve ainda aumento de 62% na execução de cirurgias de catarata. Em 2016 foram realizadas 2.760 procedimentos e em 2018 foram 4.460, dos quais mais de 1 mil em caráter de mutirão.
A secretaria de Saúde aponta também um acréscimo de 23% na realização de cirurgias eletivas, aquelas marcadas com data e hora, em relação a 2016 e 2018, quando computaram-se 11.951 e 14.688 procedimentos, respectivamente. Entre elas estão as cirurgias gerais, que tiveram um incremento de 94%, as ginecológicas (260%), as de otorrino (141%), de varizes (29%), bariátrica (66%) e cardíaca pediatra (100%).

Segundo o secretário da pasta, a elevação no número de cirurgias eletivas deve-se à ampliação dos recursos para os hospitais, por determinação do prefeito Marcelo Belinati. “Conseguimos investir mais recursos, possibilitando que os hospitais ampliassem a capacidade de atendimento, focando em cirurgias eletivas, que é um gargalo no sistema público de saúde de qualquer município. Estas cirurgias devem continuar se expandindo em 2019 e 2020”, afirma Machado, que também disse que o município vai investir na aquisição de cadeiras de rodas, pois muitas pessoas esperam por isso há anos. “Já temos recursos da prefeitura autorizados pelo prefeito”, completou.

O balanço também demonstra que o orçamento da Saúde aumentou 24% de 2016 para 2018, saltando de R$ 530.997.000,00 para R$ 659.263.000,00. Além disso, foram 25% a mais de aplicação dos recursos em medicamentos. Registra-se, ainda, uma diminuição 61% das reclamações, que passaram de 3.269 para 1.290, nos anos citados.

E ainda: foram realizadas quase 90 mil consultas médicas a mais, com relação a 2016 e 2018, subindo de 460.346 para 545.587. A rede municipal de saúde também conseguiu elevar o número de diversos procedimentos em relação aos dois ano, como tomografias (13%), ressonâncias (17%) e raios-x (9%), além de 34% a mais de emissão de licença sanitária.

Projetos em andamento – O balanço revela ainda os projetos que deverão ser consolidados em 2019, entre eles a reforma de outras 20 UBSs e construção de mais duas; a retomada da reforma e ampliação da Maternidade Municipal, que inclui a substituição de equipamentos e mobiliários, além da instalação de aparelhos de ar condicionado em todos os quartos; a reforma do Pronto Atendimento Infantil (PAI), e a construção da nova sede do SAMU. “Todos estes avanços colocam Londrina em um curva ascendente, em todas as áreas da Saúde, levando a cidade para um cenário de protagonismo positivo”, conclui o secretário Machado.
registrado em:
Fim do conteúdo da página